segunda-feira, 16 de março de 2015

Caderninho: Existência e Amor


"Alvorada, alvoroço
Troco a minha alma
Por um almoço"

Parece que me alimentei de Bossa Nova
Pura saudade que não sai de mim, não sai
Ou me alimentei de dias de Caetano
Tomando sua Cajuína do suicídio de Torquato Neto
"Existirmos a que será que se destina?" Destino, destinto
Ou de Cartola; Sorrir pra não chorar ou disfarça e chora?

Tô cheia, estufada, alimentada (satisfeita!)

Escrevi isso em uma época que eu não sabia o que diabos estava fazendo da vida. Uma quase crise existencial, só que menos dramática. 

---

O Amor é tipo linhas tortas
que, quando juntas
formam uma coisa bonita

Escrevi isso há um tempo já, mas ainda hoje continuo com o mesmo pensamento sobre o Amor. Nós somos as linhas tortas, e quando nos juntamos com outra linha formamos uma coisa bonita, mesmo que abstrata.

#MeusEscritos

8 comentários:

  1. Que lindos seus poemas ♥ Eu realmente adorei!
    Achei o primeiro muito divertido! E o que você disse no segundo foi muito bonito, sobre o amor da nossa forma imperfeita. Ah, e curti também a foto *--*.
    bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aw, muito obrigada! Fico feliz que tenha gostado =)

      Excluir
  2. Muito sentidos, digo, delicados e verdadeiros.
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Gente, que demais!! Adorei seus poemas!!
    Compartilha mais com a gente ^_^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, querida! Pode deixar que futuramente irei postar mais =)

      Excluir
  4. Apaixonada pelos seus escritos Juliana! Lindo demais. <3

    ResponderExcluir

Lamentações, críticas construtivas, compartilhamento de felicidade são sempre bem-vindos! =)